More about Alcides Fonseca
Go Back

Linguagem para caloiros

Written by Alcides Fonseca at 2008/02/19

Ou, mais pomposamente, como o Nuno escreve: Primeiro contacto com programação por parte dos alunos do ensino superior. Ele defende os Haskell pelas suas razões. Cá eu, tenho uma opinião diferente, e quem me conhece destas bandas já o adivinhou: Python.

O meu curso até há uns tempos tem sido mais uma daquelas escolas horríveis de Java, mas com a remodelação para bolonha isso foi corrigido. Das quatro cadeiras de programação que temos, usamos Python, C, Java para as três primeiras e na quarta uma qualquer das anteriores (visto que se baseia apenas em algoritmos). Acho bem começar com Python. É uma linguagem de alto nível, que pela sua simplicidade serve perfeitamente para transmitir os conceitos básicos de ciclos, funções, recursividade, e dá aos alunos a capacidade de já poderem fazer programas e scripts que lhes sejam úteis no dia a dia. Depois é dado C para chegar a um nível mais baixo, que também é essencial saber. Depois na cadeira de POO damos Java, embora eu sugeria fortemente Ruby, mas nem é o que me preocupa mais.

Mas eu acho que está aqui uma coisa mal, a programação não devia ser ensinada no ensino superior, mas sim a nível do ensino secundário (e lá mais para a frente a nível do básico). Quem está na área científica, devia logo aprender a programar, porque o seu curso vai ter sempre uma cadeira de informática (ok, há umas poucas que não dentro da área da saúde) e ter capacidade de escrever um script em Python (ou uma outra) para automatizar o seu trabalho é sempre uma mais valia, e cada vez mais imprescindível. Já para economia, deviam saber trabalhar com bases de dados, mas se calhar também já estou a exagerar.

Estou também a ver se junto um grupo de alunos do 8º ano para lhes ensinar a programar, porque acredito que é essa a idade ideal. Linguagem? Python (ou IronPython). Depois mostro os resultados ;)