More about Alcides Fonseca
Go Back

O Backstage do Palco Principal

Written by Alcides Fonseca at 1195504831

Há uns tempos conheci o Pedro Trindade e queria fazer-lhe uma carrada de perguntas, e aproveitei para fazer uma entrevista, não que me ache um jornalista, mas porque acho que as respostas seriam interessantes para outras pessoas.



O Pedro é o responsável pela tecnologia e desenvolvimento do Palco Principal, do qual já aqui falei, e tirou o curso de engenharia electrotécnica e de computadores ao mesmo tempo que trabalha como freelancer. Teve ainda uma pequena passagem pelas telecomunicações da EDP, antes de se dedicar a full-time no Palco Principal.



Conta-nos um pouco da tua entrada no Palco Principal e do estado em que estava.




Fui um dos fundadores do Palco Principal. Comecei a trabalhar no desenvolvimento do Palco Principal quando este era ainda Homestudio.
Para quem não conhece, o Homestudio era um serviço de divulgação de bandas independentes, criado em 2000, que permitia às bandas o upload de uma foto, escrever uma apresentação, colocar músicas para download, comentários, etc..
A ideia era migrar o Homestudio para uma plataforma moderna e torná-lo numa aplicação “web2.0”.


No início do projecto, tomaram em consideração o sucesso que poderia alcançar, ou foram fazendo à medida? E têm tido dificuldades em escalar, agora que o número de utilizadores já passa os 13000?




Sim, nós perdemos algum tempo a tentar escolher uma plataforma de maneira que fosse fácil no futuro escalar a aplicação.
Escolhemos a Framework de PHP Symfony que pela sua arquitectura nos permite muita flexibilidade. Neste momento o Palco Principal ainda “cabe” numa única máquina, mas o limite está prestes a ser atingido…


A quem está agora a começar o seu projecto para a web, o que aconselhas a avaliar na escolha da plataforma ou tecnologia?




Existe sempre muita discussão quando se fala em plataformas e tecnologias. Penso que a escolha deve depender dos recursos e conhecimentos disponíveis para cada caso.
Neste momento as plataformas mais conhecidas estão praticamente ao mesmo nível.
Dito isto, quero dizer que na minha opinião pessoal, se eu tenho classes PHP disponíveis para praticamente todos os problemas, se é relativamente fácil encontrar developers para PHP e se tenho disponível uma framework poderosa como o Symfony, parece-me óbvia a decisão a tomar.


O facto de ser centrado numa comunidade, em que pontos tem ajudado no crescimento do Palco, e em que momentos tem dificultado o mesmo?




A comunidade tem-nos permitido crescer pela força da divulgação “boca-a-boca”, ainda não foi feito qualquer investimento em publicidade.
O facto do sistema se centrar no utilizador, fazendo valer a opinião e tendências da maioria, pode ser benéfico, no entanto, essa auto-regulação pode não funcionar de forma eficaz com universos (ainda) pequenos como o nosso, em que a comunidade regular (com mais de 4 visitas semanais) anda à volta de 26000 pessoas.
Pequenos desvios nos comportamentos habituais dos utilizadores fazem-se sentir bastante e podem ter alguns efeitos indesejados.
A ideia é complementar o sistema com mecanismos de regulação automática, apoiados de forma indirecta por variáveis que meçam o comportamento dos utilizadores.


A nível de relação com empresas, têm sentido que ser uma empresa centrada numa comunidade vos tem dificultado em alguma medida?




Na minha opinião acho que as empresas estão, lentamente, a começar a aperceber-se do potencial destes novos mercados e modelos de negócio.


Tenho notado que o Palco Principal está em constante evolução. Poderias partilhar connosco onde vais buscar as ideias para as novas features? Ou têm algum plano traçado a médio prazo?




Sim, existe um plano a médio prazo, claro que não é nada rígido, se nos aparece uma ideia que achamos que teria interesse implementar rapidamente, interrompemos o plano. Tentamos estar atentos ao melhor que está a ser feito no Mundo e tirar daí ideias.


Já agora, como te mantens actualizado sobre o mundo da tecnologia que se movimenta à velocidade da luz?




Bem, eu “perco” cerca de uma hora por dia no Google Reader. Devo ter mais de 100 feeds subscritas (incluindo a tua), penso que é a melhor maneira, se não a única, de nos mantermos ao corrente do que se passa.


Para terminar, como vês o futuro do palco principal no dia a dia dos portugueses daqui a 1 ano?




É difícil falar nisso sem revelar planos futuros. Seguramente um Palco Principal menos centrado no seu site, explorando alternativas que permitam uma melhor divulgação
dos projectos musicais...